ban
Pesquisa no Guia Pet




guias_web
Guia da Embalagem
Guia Construir e ReformarGuia da CulinariaGuia do Turismo e Lazer





submarino


voltar

Um tapinha não dói?
Para entender diversos comportamentos do gato, devemos nos remeter a seus ancestrais selvagens ou semi-selvagens

O comportamento do gato de hoje resulta de milhares de anos de seleção natural e de algumas décadas de seleção artificial, conduzida pelo homem. Na prática, o ser humano mudou pouco a aparência do gato e amenizou nele alguns comportamentos dos parentes selvagens.

Raças
Podemos notar o trabalho de seleção do homem pela observação das numerosas raças de gatos existentes. Praticamente todas resultaram de seleção artificial, embora algumas tenham sido obtidas de forma não intencional, enquanto outras vieram do cruzamento de gatos mais domésticos com selvagens.


Apesar de haver bastante diferença entre algumas raças de gatos, o gato doméstico foi muito menos alterado pelo ser humano do que o cão, mantendo-se, de certa maneira, mais selvagem.

Selvagem x doméstico
Os gatos selvagens, de modo geral, são mais cautelosos (assustados), mais agressivos com outros gatos e pessoas, caçam mais e brincam menos do que seus parentes domésticos, mesmo quando criados em condições semelhantes.


Essas diferenças foram selecionadas por nós, tanto conscientemente quanto inconscientemente. Por exemplo, muitas pessoas que alimentam gatos em sítios e fazendas, sem querer privilegiam os exemplares mais corajosos, aqueles que chegam mais perto. Coragem essa que poderia resultar na morte do gato em uma situação mais selvagem.


À medida que o ser humano garante a sobrevivência dos gatos, qualquer que seja o comportamento deles, mais comportamentos “anormais” surgirão e poderão ser selecionados. Um gato que nasce sem instinto de caça morreria de fome na natureza. Mas, numa família, pode ser reproduzido exatamente por não atacar os passarinhos da casa.


Embora eu ainda não tenha visto gatos sem instinto de caça, alguns deles caçam muito pouco ou muito mal, mas sobrevivem numa boa, comendo ração fornecida por seus donos. Apesar de nem todo gato se comportar exatamente como seus parentes selvagens, muito do que os felinos domésticos fazem é, ainda, resultado dos milhares de anos de seleção natural.

Água corrente ou em grandes superfícies
Como os gatos são animais territoriais, se sempre eles tomarem água em um mesmo local, poderão se intoxicar facilmente caso a fonte esteja contaminada - intoxicações podem resultar de efeito cumulativo. Portanto, o comportamento de procurar beber água em locais diferentes e optar por água corrente foi selecionado nos gatos. Eles também gostam de beber água espalhada em grandes superfícies. Provavelmente, porque, com uma área maior de evaporação, fica mais fácil perceber pelo olfato qualquer contaminação.

Obsessão por limpeza
Para caçar, na maioria das vezes os gatos ficam imóveis em local estratégico e esperam o momento certo para surpreender a presa.


Um gato com pêlos que caem e cheiram mal dificilmente não será percebido pelos ratos, e a área onde o felino está será evitada. Ratos têm medo instintivo de cheiro de gato - conseguir detectar um felino nas proximidades é vital para eles. Até ratos de laboratório ficam mais cautelosos quando se joga um pano com cheiro de gato na gaiola deles.

Esfregar-se em objetos fétidos
Parece contraditório um animal obcecado por limpeza se esfregar em carniça. Gatos se limpam para não serem percebidos por suas presas. Mas um cheiro muito mais forte pode disfarçar seu próprio cheiro, o que acaba também funcionado como estratégia.

Maior atividade noturna
Muitos gatos parecem realmente acordar durante a noite. Perambulam pela casa, brincam, miam, etc. Gatos que naturalmente ficam mais estimulados à noite têm maior chance de conseguir caçar ratos. É por isso também que os gatos possuem uma ótima visão noturna.

Esfregar-se em pessoas e coisas
Para aumentar a chance de sobreviver, é importante que o gato consiga reconhecer facilmente o que é perigoso e o que não é. Qualquer novidade em seu território precisa ser evitada ou investigada cuidadosamente. Ao investigar o objeto ou interagir com o animal ou pessoa, é vantajoso para o gato deixar sua assinatura, ou seja, seu cheiro, para facilitar o futuro reconhecimento.


Para o gato, os objetos e as pessoas que estão com o cheiro dele já foram verificadas e não oferecem tanto perigo. Infelizmente para os donos dele, muitas vezes o gato faz xixi nos objetos novos, em vez de se esfregar neles. Por isso, fique feliz quando o seu gato apenas se esfrega em você ou em seus objetos, em vez de fazer outra coisa!


Fonte: Alexandre Rossi
Para ver mais artigos clique aqui

 
 
Guia Pet & Cia 2008-2017 ©, uma empresa do Grupo Guias Web - Todos os direitos reservados
Normas de uso - Política de privacidade

CSS válido! Valid XHTML 1.0 Transitional